quinta-feira, 13 de junho de 2013

Au! Au!

Luiza, eu e minha mãe voltando pro carro, vimos uma moça segurando um cachorro enorme. Minha mãe sugere:

- "Olha, Luiza, um cachorro bem grande! Pergunta o nome dele!"

Sem perder tempo, ela dispara:

- "Não, vovó, ele não fala!"

Minha mãe morreu de vergonha, eu e a moça morremos de rir!

sexta-feira, 7 de junho de 2013

O show da bailarina

video


É ou não pra morrer?!?

Cabelos ao vento...


A sapequinha para em frente ao ventilador e fica bem quietinha. Pergunto:

- "Tá fazendo o quê aí, filha?"

- "Tô 'refescando' meu cabelo..."

1 minutinho depois:

- "Ponto, mamãe, já refescô!"


-o-o-

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Início de um desfralde

Luiza está com 2 anos e 2 meses e inicia agora um desfralde lento, suave, no tempo dela. A iniciativa de usar calcinha partiu dela própria, há uns 4 meses. Só que, mesmo a gente explicando que na hora de fazer xixi nos avisasse, pra gente levá-la ao peniquinho, ela nunca conseguia avisar que estava com vontade. Mesmo assim, se sujando, eu sempre respeitei a vontade dela de usar calcinha quando bem entedesse. De uns tempos pra cá, Luiza descobriu que curte mesmo usar o vaso sanitário. Ela vem avisar correndo, toda agoniadinha que está nas últimas.

Na hora de fazer cocô é que o bicho pega. Ela avisa tarde, não consegue ir nem no penico nem no vaso, e acaba pedindo pra colocar fralda. Ontem, Luiza ficou toda orgulhosa de conseguir ir na privada. Comprei um redutor de assento e ela está toda feliz, conseguindo sentar sozinha.

Quando eu penso que a exigência da pediatra de "treinar os esfíncteres" surgiu há uns seis meses... Fico triste, pensando que tudo é feito de forma tão mecânica, tão impessoal!

Troca de papéis


Eu:
- "Filha, mamãe não queria trabalhar hoje não. Queria ficar contigo, assim bem grudadinha..."

Ela:
- "Tem que ir, viu, bichinha!"

:-p

É areia, mamãe!

Luiza na praia, brincando com baldinhos, me mostra uma xícara de plástico, cheia de areia. Ela mexe com uma colherzinha e me mostra:
- "Olha, mamãe!"
Eu toda simpática, digo:
- "Que lindo, filha! É um cafezinho ou um chazinho?"
Ela olha pra mim bem séria e diz:
- "É areia, mamãe!!!"

o.o

Cadê o sol?






Minha mãe inventou uma brincadeira que ela recorta várias figuras e cola ímãs atrás para que a Luiza monte um mural no armário de aço da cozinha. Uma dessas figuras é um solzinho. Ela brincando, juntou todas as figuras e jogou lá fora, na varanda. À tardezinha, quando vai escurecendo, meus pais fecham as janelas e portas para evitar que as muriçocas entrem. Luiza viu a cena e começou a choramingar:
- "Vovô, o sol! O sol, vovô!!!", já chorando.
Meu pai, todo poeta, vozeirão alto, respondeu:
- "Minha filha, o sol já foi embora! Agora quem vem é a lua!"
Luiza insistiu, aos berros:
- "Vovô, o sol, pu favô, o sol!"
Meu pai, continuou:
- "Minha queridinha, o sol foi dormir, só amanhã que ele volta!"
Com medo que a conversa não terminasse nunca mais, minha mãe interviu:
- "Ela deve estar falando de outra coisa, vamos ver, abre a porta..."
Eles abriram e viram as figuras do mural jogadas num canto. Meu pai, por fim, entendeu, pegou a gravura do sol e devolveu a ela. Vendo que seu pedido tinha sido finalmente compreendido, Luiza dispara:
- "Beleeeeeeeeza, vovô!"
Só que ninguém sabia que ela já tinha aprendido a dizer essa palavra "beleza", ainda mais empregando na hora certa!!!